Por que eu estou no jogo e você não?!

Há 1 detalhe muito simples, mas poderoso

Posted by Phillipe Soares on May 13, 2019 · 8 mins read

Eu vou te contar uma história que iniciou em 1998 e terminou em 2010. 

Em 98 eu tinha exatos 10 anos e era uma criança bem extrovertida. Eu fazia amizade fácil com as pessoas e nunca tive vergonha ou problemas em interagir socialmente.

Nessa época eu já fazia natação, aulas de inglês e passava a tarde na escola, onde eu tava enfiado em todo o tipo de atividade extra.

Eu conversava com TODO MUNDO.

E é nessa época que essa história de estar no jogo começa e vou te explicar o motivo.

O fato de eu me comunicar facilmente, fazer amizades e tudo mais, sempre me deu uma vantagem muito grande.

Quando eu não conseguia fazer algo, não tinha ninguém pra brincar, precisava tirar dúvida em alguma lição de casa, eu ia atrás de alguém pra me ajudar.

Fiz isso a minha vida inteira.
Não fiz nada, literalmente NADA, sozinho.

Quando fiquei mais velho, dai que isso ficou mais evidente.

Vestibular.
Faculdade.
1º emprego.
Trabalho voluntário.
Competições.
Viagens.

E mais recente: empreender.

Só que eu preciso voltar a minha infância e adolescência antes de prosseguir nessa história.

Mais precisamente quando comecei a estudar inglês com meus 9 anos, lá em 1998.

E que continuei estudando formalmente até os 22 anos.

Nesse período todo, um total de 0 pessoas me viram conversar em inglês fora da sala de aula.

Eu tinha vergonha, não tinha confiança. Simplesmente não via sentido em falar em inglês com quem falava em português comigo.

Foi isso, talvez, o maior erro que eu cometi.

Eu criei uma trava tão grande, mas tão grande…que meu pai um dia me perguntou se eu sabia falar inglês, risos.

Claro que eu sabia (na minha cabeça), mas não da boca pra fora, risos 2.

Aquela criança extrovertida, adolescente zuero, na verdade tinha algumas travas. Uma delas era se comunicar em um segundo idioma, o tal do inglês.

Não fosse isso, talvez com 15 ou 16 anos eu já estivesse falando inglês fluente e tivesse pensado em estudar o Ensino Médio fora do Brasil ou te tentar uma 1ª vaga de emprego que exigisse o inglês para trabalhar.

Mas não foi assim que aconteceu.

Com 19 anos eu entrei numa empresa que, apesar de pedir inglês (o tal do inglês intermediário), não precisava de fato dele para exercer as atividades.

Só que tudo isso mudou em 2010.

 

Abriram uma oportunidade para trabalhar em Chicago. E me lembro dos detalhes desse dia até hoje.

"Vamos começar a operar nos EUA, em Chicago, e precisaremos de alguém que saiba falar inglês para ir pra lá!"

Aquilo ecoou na minha mente e eu pensei:

Não é possível que depois de mais de uma década, eu não tenha condições de conversar em inglês com alguém.

E foi com essa mentalidade que eu contratei um professor particular para me ensinar (um pouco mais) de inglês.

O mais engraçado é que eu fiz a entrevista com esse professor toda em inglês.

Mas a grande sacada foi que as aulas eram numa sala de reunião que ficava ao lado do escritório e que todo mundo podia ouvir, inclusive meu chefe.

E todo fim de aula, o que acontecia? Saimos da sala de reunião falando em inglês na frente de todo mundo.

Foi exatamente 1 ano assim.

Depois de toda essa experiência, esses anos de estudo e olhando pra trás, eu consigo enxergar algumas coisas…

Eu sempre soube falar inglês. Dos 15 aos 22 anos, não mudou muita coisa em relação ao conhecimento que eu tinha.

Mas depois das aulas particulares que eu tive, uma coisa apenas que aumentou: a confiança em dizer SIM.

Exatamente, dizer SIM.
Por que?!

 

Infelizmente temos a ilusão que estaremos prontos para o momento, para a hora H.

E na prática não é assim que funciona.

Nunca estaremos preparados!

Só que eu tinha uma carta na manga quando a oportunidade de ir morar nos EUA apareceu…

Eu estava pronto para dizer o meu 1º SIM!

Eu estava no jogo, mesmo que eu fosse o 3º goleiro ou apenas o gandula.

EU ESTAVA NO JOGO!

Eu percebi que ao dizer o meu 1º SIM, eu estava literalmente no jogo. Nesse jogo em que as pessoas, em vez da bola, usam o inglês para jogar.

E assim como todo jogo, temos vários níveis de habilidade. Assim como em 2010 eu não estava tão preparado para jogar com a camisa 10, você ao começar a estudar o idioma, também não estará preparado, não será o camisa 10 logo de cara.

Esse processo de confiança e dizer SIM é longo.
Mas você não precisa esperar anos para dizer o seu 1º SIM.

Eu demorei muito para dizer SIM pela primeira vez!

Você não precisa!

É por isso que eu te convido para participar do bate papo online dia 14.05 às 22h00 e descobrir como você pode dizer o seu primeiro, de milhões de SIMs que vão aparecer a partir do dia 14.

Estarei online para ler suas perguntas e saber quais as dificuldades que você tem hoje para dizer um SIM.

Basta acessar o webinario.ihaprendi.com/ para participar gratuitamente.

Eu te vejo lá!
Cheers,

Phillipe S.