A importância da meditação

E porque você deveria parar para meditar.

Posted by Phillipe Soares on January 08, 2019 · 6 mins read

Minha vida mudou radicalmente desde que algumas portas invisíveis se abriram para mim. Eu era cético, não mexia com plantas, não sabia o que era meditação e muito menos pensava que o Universo poderia conversar comigo.

Esse era o Phillipe até 2015.

No meu processo de mudança, eu busquei aulas de Yoga, para poder voltar ao Triathlon. Na minha cabeça, as aulas poderiam me ajudar no alongamento, e assim, me aliviar das dores e lesões que eu tive em 2013/14. E quando fiz as minhas primeiras aulas e entendi que o que eu buscava, apesar de genuíno, não era a volta aos esportes, adentrei num mundo gigantesco e totalmente novo.

Só pra você ter uma ideia, o que a Yoga menos traz é o alongamento ou exercício físico (algo que vemos nas fotos postadas nas redes sociais — o tal dos Asanas).

Eu comecei a entender que precisava unir o corpo, mente e o espírito. Não foi algo consciente de início, mas as coisas que foram aparecendo me mostraram o caminho. E esse caminho foi aberto apenas porque eu estava aberto para ele (não tinha outra saída também).

Já em 2016 eu tive meu primeiro contato com as plantas. Cara, isso foi o maior presente que eu recebi desde que eu nasci. Eu me conectei de uma tal maneira que não tem como materializar em palavras.

Fui ao CEAGESP numa madrugada de quinta para sexta-feira e, me lembro até hoje, me apaixonei por uma muda de alface. Parece brincadeira. Foi literalmente amor a primeira vista. E pronto, o efeito borboleta estava completo.

Acabei aprendendo muito sobre como cuidar de uma horta, como manter, como ter consciência sobre o espaço em que vivemos, nosso corpo, mente, espírito. Ajudei a montar uma horta no apartamento em que morei nessa época, aprendi a compostar com o mestre Mario Soleo Scalambrino e há quase 3 anos venho estudando sobre hortas, permacultura e agroecologia. Tendo aplicado alguns conceitos dentro do aprendizado de idiomas, inclusive.

E onde entra a meditação?

Em tudo.

Desde o começo deste post, tudo o que venho falando é sobre meditação.

triathlon, as mudanças, a busca pelo Yoga, a horta…tudo isso faz parte do que eu entendo por meditação.

Mais recentemente venho buscando a meditação como uma forma de me conhecer melhor, tranquilizar a mente e ser mais criativo. Em alguns momentos isso é mais fácil, em outros mais difícil.

Por exemplo, quando se trabalha sozinho, ter consciência sobre o corpo, mente e espírito é bem difícil, dada a entrega e compromisso com os projetos e clientes. Não a toa eu decidi cortar todos os meus alunos que eu vinha construindo desde 2015 e reservar pouquíssimas vagas para aqueles que estão realmente interessados.

Essa decisão foi difícil, mas a meditação teve sua contribuição.

Para quem não sabe nem por onde começar a meditar (e esse era o meu caso em 2016/17), há uma forma bem interessante para aprender e que compartilho abaixo.

Importante: a entrada no mundo da meditação e do auto conhecimento é transformadora, mas nem sempre tranquila. Esteja ciente de que o processo pode ser bem dolorido.

Insight Timer

Esse é um aplicativo gratuito que te ajuda a meditar e que eu uso com frequência. Nele há meditações guiadas ou apenas músicas para você se concentrar para a sua meditação. Há diversas opções, diversos professores, professoras, músicas de relaxamento. E é em inglês. Ótima oportunidade para quem está aprendendo o idioma.

O que eu faço é separar um horário pela manhã para meditar usando o insight timer, mas já usei músicas do próprio youtube também (existem infinitas delas, inclusive guiadas em português). Tenho um canto no meu quarto especial para a meditação e que eu me sinto confortável.

Comece trabalhando a sua respiração e tome consciência da entrada e saída de ar, com calma e foque toda a sua atenção nela. Caso você perceba que perdeu a atenção e a mente está a mil, não se preocupe, volte a focar a atenção na respiração.

Uma meditação de 2 minutos é melhor que nada. Então comece no seu ritmo e no seu tempo. Vá gradativamente sentindo as reações do seu corpo e da sua mente, depois aumente o tempo, faça mais vezes na semana, faça todos os dias.

Só você vai saber e descobrir a melhor maneira. Há também diversos grupos que podem ajudar. As aulas de Yoga podem ajudar muito nessa jornada também.

Depois me diga o que achou, ficarei feliz de poder ouvir a sua experiência a partir desse post.

Abraço,
Phillipe.